Nota de repúdio ao radialista Gerliano Brito

92

O SINTESE vem por meio desta nota manifestar seu repúdio ao radialistas Gerliano Brito, que em seu programa, na Luandê FM, faltou com a verdade e atacou, de maneira irresponsável, a reputação do professor, da rede municipal de Tobias Barreto, Ivan Carlos de Macedo.

Em uma maliciosa tentativa de colocar a população de Tobias Barreto contra professores e professoras da rede municipal, o radialista Gerliano Brito, afirmou que a prefeitura de Tobias Barreto não estava ajudando a população mais vulnerável de nossa cidade, com cestas básicas, porque pagava altas gratificações ao magistério.

Para legitimar sua absurda afirmação, o radialista, usou o contracheques do professor Ivan Carlos de Macedo, fazendo uma leitura completamente mentirosa e destorcida do documento, passando longe do que se entende por “bom jornalismo”. Gerliano Brito não apurou os dados, não buscou saber sobre a legalidade das gratificações e, o mais grave, em momento nenhum procurou o professor Ivan, ou até mesmo o SINTESE, para saber o “outro lado da História”.

Vamos aos REAIS fatos: não há qualquer irregularidade nos contracheques do professor Ivan Carlos de Macedo, todas as gratificações ali expostas são legitimas e asseguradas pelo Estatuto do Magistério de Tobias Barreto. Até o ano passado (2020), o professor Ivan estava em sala de aula, então recebia a gratificação por Regência de Classe (25%). Este ano o professor assumiu o cargo de Diretor de Escola, com isso, deixou de ganhar a gratificação por Regência de Classe e passou a ganhar a gratificação pelo seu novo cargo (70%).

Reafirmamos novamente, NÃO HÁ NADA DE ILEGAL NOS CONTRACHEQUES. As gratificações recebidas pelo professor são legitimas.

A situação foi tão absurda e constrangedora que o professor Ivan Carlos de Macedo precisou “provar” sua inocência e autorizou que um vereador de nosso município tivesse acesso aos seus contracheques. O vereador constatou que NÃO havia qualquer irregularidade nos pagamentos feitos ao professor, que tudo estava dentro da Lei, cumprindo o que estabelece o Estatuto do Magistério de Tobias Barreto.

Muito mais do que uma conduta antiética, a conduta do radialista Gerliano Brito é criminosa. Não sabemos quais interesses escusos estão por trás desta ação, mas o fato é que Gerliano Brito expôs um servidor público ao constrangimento, em uma emissora de rádio, a partir de mentiras.

O SINTESE está tomando todas as providências cabíveis para que este fato seja apurado com o rigor que merece

O SINTESE aproveita para reafirmar sua crença na liberdade de expressão, no jornalismo e na ética. Entendemos que no mundo da informação haverá opiniões críticas e divergentes, no entanto não é admissível se utilizar de um espaço midiático, como o rádio, que é uma concessão pública, para mentir, enganar e constranger, isso não é liberdade de expressão, isso é crime.