SINTESE se reúne com secretaria da Saúde sobre vacinação dos trabalhadores em Educação

94


A vacinação dos trabalhadores e trabalhadoras da Educação foi o tema da reunião virtual entre a presidente Ivonete Cruz e o vice-presidente Roberto Silva dos Santos com a secretária de Estado da Saúde, Mércia Feitosa.

A professora Ivonete colocou que o retorno as aulas presenciais precisa estar vinculado à vacinação dos trabalhadores e trabalhadoras da Educação, além da testagem em massa dos estudantes e as condições sanitárias das escolas.

“Temos reafirmado que a volta das aulas presenciais não é uma questão de mudança de data (a próxima previsão é para o dia 05 de maio), mas de segurança para todos e todas e ela só é possível com vacinação, testagem dos estudantes e condições das escolas”, afirmou a presidenta do SINTESE.

Já o professor Roberto lembrou que já foi iniciada a vacinação dos trabalhadores das forças de segurança e salvamento e que eles estão na mesma fase daqueles que trabalham na Educação. “É importante que o governo do Estado sinalize quando vai começar a vacinação dos trabalhadores em Educação”, frisou o dirigente.

A secretária afirmou que fará a interlocução com o governo do Estado sobre o pleito dos trabalhadores e trabalhadoras da Educação e também colocou que é importante uma ação junto ao Ministério da Saúde para que cheguem em Sergipe doses da vacina destinadas àqueles que trabalham nas escolas.

A professora Ivonete Cruz, que também é dirigente da CNTE se comprometeu a fazer o diálogo com a entidade para que as intervenções necessárias sejam feitas.

O sindicato espera que novas reuniões aconteçam com a Secretária de Saúde para discutir como serão os critérios para vacinação e também o quantitativo de trabalhadores e trabalhadoras da Educação que precisam ser vacinados.

Outro ponto levantado é ter o quantitativo de trabalhadores com comorbidades, pois como no plano de vacinação aponta como os beneficiários da próxima fase já será um número a menos de trabalhadores que serão vacinados quando chegar a vez dos que trabalham nas escolas.

O SINTESE continua na luta pela vacinação dos trabalhadores e trabalhadoras da Educação, e também por condições sanitárias das escolas e testagem em massa dos estudantes, pois só assim poderemos ter um retorno presencial as aulas com segurança.