Volta às aulas presenciais: O Governo do Estado quer nos matar aos poucos

141

Causou extrema preocupação e indignação nos professores e professoras das escolas públicas de Sergipe, o anúncio do governador Belivaldo Chagas do retorno as aulas presenciais para as turmas de 1º e 2º ano do Ensino Fundamental a partir do dia 10 de maio.

Para o SINTESE, com esse anúncio o governo do Estado quer matar aos poucos os professores e professoras, pois não há, até o momento, nenhuma garantia efetiva de vacinação dos integrantes do magistério das escolas estaduais e municipais e nem dos trabalhadores destas unidades de ensino.

O sindicato alerta que para que se haja o patamar mínimo de imunização contra a covid-19 são necessárias duas doses da vacina e até o dia 10 de maio não há possibilidade de isso acontecer. Sem falar nas condições sanitárias das escolas e a testagem em massa dos estudantes, pois atualmente temos uma nova cepa do vírus que ataca pessoas mais jovens.

“É extremamente grave essa decisão do governo de retornar as aulas por etapas sem garantir as condições, ou seja, vamos morrendo aos poucos, pois assim se mantem o patamar de mortes e internamento equilibrado. O que a gente precisa é superar esse momento e retornar com segurança. Por outro lado o retorno gradual não se trata ao retorno de turmas, mas da quantidade de alunos que retornarão, para com isso manter outra medida indispensavel que é o distanciamento , e não apenas de um grupo e para que aconteça o retorno gradual são necessárias medidas urgentes e é isso que os professores querem, retornar as aulas presenciais, mas com segurança. Vamos tratar com seriedade, pois o retorno as aulas presenciais não é uma questão de etapa, mas de vida”.

Em assembléia realizada no dia 28 de abril os professores ratificaram a decisão de retorno com Vacinação para todas as trabalhadoras e Trabalhasores em educacão, testagem e condições sanitárias.

Nossa Luta é em defesa do direito á educação e a Vida.