A garantia das condições tecnológicas aos professores é uma pauta do SINTESE

187

Por que para uns o retorno as aulas presenciais sem nenhuma condição, uma verdadeira sentença de morte, e para outros a garantia das condições tecnológicas para ministrar as aulas remotas?

Na tarde de ontem, 07, o governo informou, através do twitter, o atendimento de uma pauta histórica do SINTESE que a garantia para os professores e professoras da rede estadual tenham condições de ministrar as aulas remotas, mas, ao mesmo tempo, determina que outros docentes devem retornar as aulas presenciais sem condições.

Pelo decreto n° 40.883 do dia 28 de abril (que homologa a Resolução nº 18 do Comitê Técnico Científico) o governo Belivaldo Chagas determinou o retorno das aulas presenciais para os estudantes das primeiras e segundas séries do Ensino Fundamental no dia 10 de maio sem a garantir as mínimas condições.

Em assembleia realizada pelo SINTESE no dia 04 de maio as professoras e professores, que por decreto devem retornar no dia 10, deliberaram por unanimidade não retornar as aulas presenciais e por estarem sem essas condições mínimas para o retorno decretaram “GREVE EM DEFESA DA VIDA”.

As condições mínimas para que os professores e professores das primeiras séries do Ensino Fundamental voltem as aulas presenciais são: a garantia da imunização com as duas doses da vacina, a testagem periódica dos estudantes e as condições sanitárias das escolas.

Os professores e professoras comprometeram-se em continuar ministrando as aulas remotas mesmo com todas as dificuldades que vêm enfrentando desde 2020.

Enquanto o governo quer forçar uns a retomarem suas atividades de maneira presencial, em sala de aula, ao mesmo tempo informa em suas redes sociais que vai liberar cinco mil reais para cada professor para a compra de equipamentos tecnológicos. Estaria perfeito, essa é uma pauta permanente do SINTESE, se não fosse profundamente contraditória e sem justificativa plausível.

Por isso questionamos, Governador Belivaldo quais motivos embasam o retorno as aulas presenciais sem nenhuma condição, uma verdadeira sentença de morte e para outros, a garantia das condições tecnológicas para ministrar as aulas remotas?

As professoras e professores exigem: Condições de Trabalho Remoto para todas e todos.

Para que milhares de estudantes, professores, trabalhadores da Educação e suas famílias não sejam condenados à morte é fundamental que haja uma politica séria de retorno as aulas presenciais com vacinação das trabalhadoras e trabalhadores, testagem periódica dos estudantes e condições sanitárias das escolas.

Greve em Defesa da Vida.

Solidariedade as nossas Colegas de Trabalho e Profissão.

SINTESE
Somos Muitos. Somos Fortes