Professores e professoras de Maruim deliberam não participar de atividades presenciais

229

Diante do agravamento da pandemia de Covid-19, em que a ocupação dos leitos de UTI em Sergipe supera os 90%, professores e professoras de Maruim deliberaram em assembleia, ocorrida na última sexta-feira, dia 4, realizada de forma virtual, que não participarão de qualquer atividade feita de forma presencial.

Mesmo com esse cenário, a direção da Escola Municipal Sabino Ribeiro, insiste em realizar reuniões pedagógicas de forma presenciais com professores e professoras, antes do início das aulas remotas, marcada para o dia 14 de junho.

A primeira reunião no Sabino Ribeiro está marcada para esta segunda-feira, às 13h. Os professores e professoras da unidade de ensino tentaram diálogo com a coordenação e a direção para solicitar que esta reunião aconteça de forma virtual, no entanto a diretora e o coordenador se recusam. Um professor, que está afasta por Covid, pediu ao coordenador da escola, Luciano Muraro, que criasse um link para permitir que ele pudesse acompanhar a reunião de sua casa, mas nem assim a solicitação foi atendida.

Em um texto enviado pela diretora do Sabino Ribeiro, Maria Noélia, aos professores e professoras da escola, ela afirma que “o mundo não parou” e que, portanto, professores e professoras devem comparecer a reunião de forma presencial.

Dados do IBGE, de 2020, dão conta que Maruim tem uma população de 17.271 pessoas. De acordo com o site oficial do Governo do Estado ‘Sergipe Contra o Coranavírus’, 1.049 habitantes da cidade já contraíram Covid-19 e 40 pessoas perderam suas vidas para o vírus.

“Justamente por uma mentalidade de que o ‘o mundo não pode parar’ é que em nosso país temos mais de 450 mil pessoas mortas pelo Coronavírus. Não podemos simplesmente ignorar os números. Maruim é uma cidade pequena, as pessoas não são apenas números, são amigos familiares, pessoas do nosso dia a dia, que tiveram suas vidas ceifadas por um vírus. Se podemos nos prevenir, se a tecnologia nos permite não estar em um espaço junto com outras pessoas, por que vamos insistir em realizar reuniões presenciais neste momento tão delicado da pandemia? Qual a necessidade de uma reunião presencial se o resultado seria o mesmo com ela sendo feita de forma muito mais segura? Para quê expor pessoas? É necessário que se haja sensibilidade e respeito a nossas famílias e as famílias dos que se foram”, avalia a diretora do SINTESE e professora na Escola Sabino Ribeiro, Emanuela Pereira.

Curso da Secretaria de Educação

Com o retorno das aulas remotas marcadas para o dia 14 de junho, em Maruim, a Secretaria Municipal de Educação da cidade decidiu realizar um curso sobre ‘Educação e Tecnologia’ entre os dias 7 e 11 de junho, de forma presencial, no Centro de Qualificação Maria Isabel.

Os professores e professoras de Maruim desejam participar do curso por entender a importância do debate, principalmente diante da nova realidade em que vivem. No entanto, pedem que a Secretaria Municipal de Educação realize o mesmo de forma virtual.

 “A ideia do curso é muito boa, muitos professores e professoras estão interessados, mas diante do crescente número de infectados, da escassez dos leitos de UTI, não podemos nos arriscar. Ainda mais que o espaço onde o curso está programado para acontecer é um espaço fechado, sem ventilação. O SINTESE vai enviar ainda hoje ofício a prefeitura e a Secretaria de Educação solicitando que o curso aconteça de forma remota. Queremos participar, achamos muito importante, mas pedimos compreensão e respeito a nossa saúde e a nossas vidas”, enfatiza a dirigente do SINTESE, professora Emanuela Pereira.