Santana do São Francisco: passivos trabalhistas, imunização de professores e retorno às aulas presenciais são debatidos em audiência

243

A fim de abrir canal de diálogo e negociação com a gestão municipal, representantes da SINTESE se reuniram em audiência com o prefeito e a secretária de educação de Santana do São Francisco, na região do Baixo São Francisco, na terça-feira, dia 13.

A princípio a pauta seria apenas o retorno às aulas presenciais, mas o prefeito, Ricardo Roriz, concordou em ampliar a discussão e foi tratado também sobre os passivos trabalhistas acumulados pela prefeitura junto aos professores e professoras da rede municipal de ensino.

Sobre o pagamento das férias de junho de 2021 (1/6 ferial) aos professores e professoras, o prefeito afirmou que o pagamento já estava sendo providenciado naquele mesmo dia.

Já em relação aos salários de dezembro de 2020, que até a presente data não foi pago ao magistério, o prefeito se comprometeu a quitar a dívida entre os meses de agosto e dezembro do corrente ano. A ideia do prefeito é a cada mês (entre agosto e dezembro) pagar um grupo de professores, de forma integral. Ricardo Roriz se comprometeu que à medida que os pagamentos forem sendo realizados irá passar para o SINTESE uma lista com o nome dos professores e professoras que receberam o que lhes é devido.

A partir da sugestão da diretora do Departamento de Bases Municipais do SINTESE, professoras Emanuela Pereira, que participou da audiência, os pagamentos dos salários de dezembro 2020 começarão por aqueles professores e professoras que têm uma remuneração menor, em folha de pagamento, seguindo para os que têm uma remuneração maior.

Aulas presenciais

A prefeitura de Santana do São Francisco havia anunciado que às aulas presenciais teriam início no próximo dia 19 de julho. Durante a audiência a professora Emanuela Pereira reafirmou o posicionamento do SINTESE sobre a greve pela vida e colocou sobre os riscos do início das aulas presenciais sem a imunização total dos professores e professoras, uma vez que na data prevista para o retorno os trabalhadores da educação ainda não terão tomado a segunda dose da vacina contra a Covid-19.

O prefeito Ricardo Roriz propôs então que o retorno às aulas presenciais se daria à medida que os professores e professoras cumprissem todo o ciclo da imunização. O professor toma a segunda dose da vacina, cumpre o tempo necessário para a imunização e partir daí retoma as atividades na escola. A prefeitura propõe ainda que o retorno seja com aulas hibridas, com 40% de estudantes de forma presencial nas escolas.

As propostas lançadas pela prefeitura serão apresentadas aos professores e professoras de Santana do São Francisco em assembleia, de forma virtual, na próxima sexta-feira, dia 16.