Em dia de luta pelos servidores e serviços públicos aposentadas exigem revogação do desconto de 14%

110

O dia de luta em defesa do serviço e dos servidores públicos começou cedo para professoras e professores aposentados. O SINTESE realizou pela manhã ato em frente à Assembleia Legislativa solicitando apoio dos parlamentares na luta pela revogação do desconto de 14% das aposentadorias e pensões.

“A nossa vida que já era difícil por conta dos últimos seis anos sem reajuste salarial, ficou pior com essa redução de 14%. Muitos de nós tiveram que recorrer à empréstimos para conseguir pagar seus compromissos financeiros”, conta a professora aposentada e dirigente do SINTESE, Ana Geni Andrade.

O sindicato entrou nos gabinetes dos 23 deputados estaduais e pessoalmente ao presidente da casa legislativa, deputado estadual Luciano Bispo, documento produzido pelo DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos de que atualmente não há déficit no fundo previdenciário sergipano, a consequência disso, conforme a Lei Complementar 338/19 (que regulamentou a reforma da previdência e o desconto) é que o desconto deve ser suspenso.

Outro ponto levantado pelo documento é que o Governo do Estado descumpre o pagamento da sua contribuição ao fundo. De acordo com a lei complementar, os servidores contribuem com 14% e o Estado de Sergipe deveria contribuir com 28%, mas isso não tem ocorrido. Essa contribuição do Estado (de ser o dobro da contribuição dos servidores) é estabelecida pela Lei Complementar 113/2005.

“Esperamos que os deputados estaduais tenham atenção especial a essa nossa pauta, pois as trabalhadoras e trabalhadores aposentados que já contribuíram tanto para o desenvolvimento do nosso estado não podem ser punidos com essa política sistemática de empobrecimento empreendida pelo governo Belivaldo Chagas”, afirma a presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz.

O ato também contou com a solidariedade das trabalhadoras domésticas e também daqueles que trabalham no campo, com a participação dos diretores da CUT/SE Quitéria Santos e Alberto Marques.

Confira AQUI o documento construído pelo DIEESE e entregue aos deputados estaduais