Prezados ouvintes, vocês, com certeza, já ouviram falar no Centrão. Mas, certamente, poucos, realmente, conhecem a fundo esse agrupamento político e o que e quem ele representa. Por isso hoje, o Centrão veio até ao nosso programa se apresentar para vocês. Por favor, ouçam com atenção.

Muito prazer, eu sou o Centrão. Sou composto por um grupo de políticos inexpressíveis, sem força para atuarem individualmente, que se uniram para ter maior influência e ganhar mais espaço no campo do jogo político. Em minhas veias correm sangue de diversas linhas ideológica, que estão tão misturadas que não representam ideologia nenhuma. Atuo para poder desequilibrar as forças tanto no senado quanto na Câmara dos Deputados. Estou disposto a negociar. Meu ofício é trocar votos por cargos. Aprovar projetos, por cargos. Ir contra os interesses da população, por cargos. Sabe por quê? Cargos significam prestígio, espaço para abrigar as bases eleitorais. Ah, também aceito votar por verbas partidárias.

Sou eu, o Centrão, que estou garantindo a governabilidade, se é que se pode chamar de governabilidade, de Bolsonaro, pois ele, o presidente, não tem base formal no congresso e sem mim ele não conseguiria aprovar um projeto se quer. E tem mais, existe algo importantíssimo que eu não posso deixar de dizer para que você me conheça melhor: sou eu, o Centrão, que estou evitando que Bolsonaro sofra um processo de impeachment.

Na realidade, eu sou uma hidra. Ah! Você não sabe o que é uma hidra? Tudo bem, eu explico. A hidra é uma criatura da mitologia grega. Uma espécie de monstro que tem sete cabeças que se regeneravam em dobro quando cortadas. Ou seja, você corta uma cabeça e nascem duas. A única diferença é que minhas cabeças não são de serpentes, como na mitologia, embora eu atue como tal, minhas cabeças são de políticos humanos.


Como eu estava dizendo, posso ter muitas cabeças, com muitas caras de políticos, mas nenhuma delas tem o mínimo de vergonha. Pois, mesmo sabendo que Bolsonaro me odeia. Que me chama de agente da velha política. E que disse, aos quatro ventos, que em seu governo não negociaria com o Centrão, aqui estou, firme e forte. Sabe por quê? Porque Bolsonaro é fraco. E eu me alimento dos presidentes fracos. Quanto mais tempo ele ficar rastejando na presidência, para mim é melhor. Eu não tenho compromisso com Bolsonaro. Não tenho compromisso com a nação brasileira. Meu único compromisso é comigo mesmo. Sou eu quem, na realidade, governa este país. Muito prazer, eu sou o Centrão.

Agora que vocês foram devidamente apresentados à alma dessa casta que representa tudo o que há de ruim e maléfico na política brasileira, o Sintese gostaria de deixar bem claro que o papel desempenhado por esse agrupamento político nos envergonha a todos. E que nós continuaremos na luta para banir essa politicalha nojenta, esse tipo sórdido de negócio que lucra com a desgraça do povo brasileiro.  Sintese: somos muitas, somos muitos, somos fortes.