“Será que vou receber meu salário hoje?”: a surpresa desagradável da prefeitura de Maruim para professores e professoras

157

Há três meses tem sido assim, uma “surpresa”, mas uma surpresa dessas bem desagradáveis, uma piada sem graça que prefeitura de Maruim vem fazendo com os professores e professoras, que mensalmente param em frente ao caixa para sacar seus salários e se perguntam “será que vou receber meu salário hoje ou fiquei de fora?”

Não satisfeito em pagar os professores com atraso, somente depois do dia 10 do mês subsequente, o prefeito Maruim, Gilberto Maynart, paga os salários a uns e outros ficam a ver navios.

Chega até ser difícil de imaginar uma situação como essa, mas é exatamente isso: a prefeitura de Maruim paga uma parte dos professores e professoras da rede municipal de ensino no dia 10, do mês subsequente, e a outra parte não recebe e não tem data certa para receber. Quem vai receber primeiro o salário? Quem vai receber depois? Nunca se sabe, todo mês é uma “surpresa”.

O salário do mês de agosto, por exemplo, já foi recebido por parte dos professores e professoras, mas até ontem, dia 14 de setembro, a prefeitura ainda não tinha pagado os salários de todos os integrantes do magistério municipal.

O SINTESE tem buscado, mês após mês, a prefeitura para que uma solução seja definitivamente encontrada. O prefeito Gilberto Maynart faz promessas, mas nada cumpre e professores e professoras seguem vivendo essa humilhante situação.

A categoria fez vigília na prefeitura durante toda a terça-feira, dia 14, com o intuito de conseguir uma nova audiência junto ao prefeito. A audiência não chegou a ser marcada, de acordo com a chefe do gabinete da prefeitura, o prefeito Gilberto Maynart, está com a agende cheia nesta semana. O SINTESE segue aguardando um retorno do gabinete sobre a data.

Fala na câmara de vereadores

O problema foi levado aos vereadores do munícipio, e ainda na noite desta terça-feira, o presidente da Câmara, professor Luiz Eduardo Bittencourt, entendo a gravidade da situação, concedeu espaço na tribuna para que a diretora do Departamento de Bases Municipais do SINTESE e professora de Maruim, Emanuela Pereira, fizesse uma fala relatando à problemática.

“Em primeiro lugar pedi que o prefeito respeite os professores. Já estamos recebendo com atraso, porque o correto seria nos pagar dentro do mês trabalhado. Além do atraso, ainda temos que aguentar a tensão, sempre com a dúvida: vamos receber ou não no dia 10? E quando não recebemos, ficamos no anseio de quando nosso salário será pago. É uma situação humilhante e que traz um sentimento de impotência enorme. O que estamos vivendo em Maruim é absurdo e pode ser resolvido, pois existem recursos. O que está faltando é vontade política e acima de tudo respeito”, aponta a professora, Emanuela Pereira.

A dirigente do SINTESE solicitou ainda que os vereadores acompanhem de perto as audiências com o prefeito e ajudem a categoria solucionar o problema, pois professores e professoras já estão cansados de promessas não cumpridas por parte do prefeito.

Mas o problema não para por aí, a prefeitura de Maruim deve também 1/3 ferial a professores e professoras. O prefeito havia se comprometido com a categoria que faria o pagamento do 1/3 de férias da seguinte forma: professores e professoras que os nomes começam com as letras de A a L receberiam o 1/3 ferial juntamente com o salário de julho. Já os professores das letras M a Z receberiam no salário de agosto. E essa foi mais uma promessa descumprida pelo prefeito Gilberto Maynart, até a presente data ninguém viu “um real” referente ao 1/3 de féria, em suas contas.

Recursos

Realmente os recursos existem. Somente do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), no período de janeiro de 2021 a 10 de setembro de 2021, o município de Maruim recebeu mais de 5 milhões e trezentos mil reais.

Quando comparamos as receitas do Fundeb, de Maruim, de janeiro a agosto de 2020 com o mesmo período do corrente ano de 2021, o que observamos é um crescimento de 26,18%. Quando falamos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), o crescimento neste mesmo período é ainda maior 33,06%. Demais transferências do FNDE para Maruim, até o dia 10 de setembro de 2021, ultrapassam os 439 mil reais.

Estes dados foram tirados do portal da Transparência do Governo Federal, do portal do Banco do Brasil e do FNDE. Todos estão disponíveis para consulta pública.