O Governador Belivaldo Chagas é um grande mago. Conseguiu inventar a fórmula perfeita para acabar com a vida do servidor público de Sergipe. Num momento em que a inflação do período chega a 60,94% ele deixa os servidores 08 anos sem revisão salarial e reduz o salário dos aposentados em 14%. Com isso, o funcionalismo público já acumula perda de 34,90% de seus rendimentos.

Uma boa maneira para descrever o Governador de Sergipe seria compará-lo a uma sanguessuga. No sentido figurado sanguessuga é uma pessoa que explora outra do ponto de vista material e/ou emocional, e é isso que Belivaldo vem fazendo. Porém, é necessário dizer, em defesa das sanguessugas, que até elas produzem um certo benefício aos seres humanos. Alguns tipos, como as europeias, por exemplo, possuem propriedades anti-inflamatórias e anestésicas na saliva e reduzem a dor e a sensibilidade no local da articulação afetada e podem ser usadas para melhorar a inflamação e o fluxo sanguíneo. Sendo assim, a comparação com uma sanguessuga não traduz fielmente o perfil de Belivaldo. Sanguessuga pode trazer algum benefício, Belivaldo não.

Então, talvez, a palavra mais adequada para descrevermos Belivaldo e seu governo seja: “desumanidade”. A palavra “desumano” faz parte de uma expressão muito conhecida no Direito. A referência está presente na Constituição Federal de 1988, no capítulo que trata dos direitos e deveres individuais e coletivos. O inciso III do art. 5ª estabeleceu: “ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante”.

É esse o tratamento que Belivaldo vem dispensando ao funcionalismo público de Sergipe, que, como já dissemos, e vamos repetir porque é necessário que essa mensagem chegue bem clara aos ouvidos de todo mundo, está há oito anos sem revisão salarial, num período em que a inflação chegou a 60,94% provocando uma perda salarial de 34,90%. Reiteramos que com isso, o funcionalismo público já acumula perda de 34,90% de seus rendimentos. E para completar o combo de maldades reduz o salário dos aposentados e aposentadas em 14%. Em determinados casos, alguns tiveram até R$ 600,00 de redução em seus salários. Isso é ou não é desumano?

Belivaldo não é um Governador. Belivaldo é um explorador. Financia sua administração usurpando os direitos dos trabalhadores. Isso é deprimente. Governa para as elites. Tem os ouvidos moucos para os clamores dos servidores públicos. Sua agenda é a do massacre.

Governador desse nível pode até ter, no futuro, sua foto na parede do palácio de despachos, mas será esquecido pela população e retratado apenas como malfeitor do estado.

Sintese: somos muitos, somos muitas, somos fortes.