“O que queremos é reconstruir a retomada da carreira do magistério e isso é possível”

724

A frase que ilustra o nosso título foi a resposta da presidenta do SINTESE, professora Ivonete Cruz, ao ser indagada pelo Secretário de Estado da Administração sobre qual pauta de reivindicação a categoria dos professores e professoras da rede estadual estava trazendo para a mesa de negociação com o Governo do Estado. A mesa de negociação foi aberta aos representantes do magistério em audiência que aconteceu nesta terça-feira, 23.

A audiência de hoje deu início a um diálogo, que há muito vinha fechado, entre o Governo do Estado e o SINTESE, sobre a reconstrução da carreira de professores e professoras da rede estadual de ensino, a partir da garantia do pagamento do piso salarial para todos e todas, respeitando o escalonamento por tempo de serviço e o nível de formação de professores e professoras.  

A carreira do magistério foi completamente destruída ao longo dos últimos anos. A categoria sofre com salários achatados e com a inflação que corrói esse salário, afetando de maneira completamente negativa a vida financeira de professores e professoras da ativa e aposentados

Integraram a mesa de negociação, com o SINTESE e sua assessoria, os seguintes representantes do Governo do Estado: secretário de Estado da Administração, Dernival Neto;  presidente do Ipesaúde, George Trindade,  secretária da Inclusão Social, Lucivanda Rodrigues;  presidente do Sergipeprevidência, José Roberto Andrade

Sim, é possível reconstruir a carreira

A presidenta do SINTESE, com base em estudos feitos pela entidade, foi taxativa ao afirmar que é possível financeiramente para o Governo do Estado reconstruir a carreira dos professores e professoras da rede estadual de ensino, assim como em 2018, ano em que houve o início de uma política para a retomada da carreira.

“O que solicitamos nesta audiência de hoje é que o processo de construção da retomada da carreira volte a acontecer, assim como se iniciou em 2018, mas que infelizmente não houve comprometimento por parte do Governo do Estado, agravando ainda mais o cenário de desvalorização. Podemos afirmar que a reconstrução da carreira do magistério é sim possível, o SINTESE tem um amplo estudo que aponta a viabilidade financeira para tal. O que precisamos agora é de compromisso e vontade política, por parte do Governo do Estado, para alavancar um cenário de retomada da valorização do magistério público da rede estadual de Sergipe”, avalia a presidenta do SINTESE.

Em 2018 houve um início de retomada da carreira do magistério. O Governo do Estado assegurou a professores e professoras percentuais de 6% a 15% de reajuste entre cada um dos níveis. A ideia era que a partir dali o Governo do Estado assegurasse a revisão anual do percentual do piso salarial a todos os professores e professoras, respeitando a carreira. No entanto, o governo Belivaldo Chagas não garantiu a revisão do piso de 2019 e 2020, o que agravou a destruição da carreira e gerou o atual cenário de retrocesso.

Aprofundamento da destruição da carreira

A reconstrução da carreira, como colocou a professora Ivonete Cruz, é uma pauta pela qual professores e professoras da rede estadual de Sergipe vêm lutando nos últimos 8 anos. A categoria não recebeu revisão do piso salarial, respeitando as diferenciações na carreira, nos anos de 2012, 2015, 2016, 2017, 2018, 2019 e 2020. O que gerou não só a destruição da carreira, mas o maior cenário de empobrecimento entre professores e professoras da rede estadual de ensino.

 Ao descumprir com o acordo feito com o magistério em 2018, o governo Belivaldo Chagas aprofundou a política de desvalorização. Para dar uma ideia da dimensão deste cenário, atualmente um professor com formação em nível médio recebe o mesmo vencimento inicial de um professor com doutorado e com 9 anos de carreira, R$ 2.886,15

Nova audiência

Ficou acordado que até amanhã, dia 24, antes do horário da assembleia de professores e professoras, o Secretário de Estado da Administração, Dernival Neto, irá entrar em contato com o SINTESE para informar a data de uma nova audiência. 

A intenção é que nessa nova audiência seja apresentado, pelos representantes do Governo do Estado, estudo do impacto financeiro para a retomada da carreira dos professores. O SINTESE também irá apresentar seus estudos. A ideia é a partir daí viabilizar o avanço na negociação com a categoria do magistério.

Assembleia

Para amanhã, quarta-feira, dia 24, o SINTESE convoca professores e professoras da rede estadual de ensino e das redes municipais de ensino de Sergipe a participarem de assembleia geral extraordinária unificada. Assembleia será realizada às 16h, de forma virtual, pela plataforma Zoom.

Na pauta, redutor Salarial; retomada da Carreira do Magistério; desmonte dos Planos de Carreira e Estatuto do Magistério das Redes Municipais; desconto dos 14% dos Aposentados; Congresso da CNTE e o que ocorrer.

Para participar da assembleia basta acessar o link: https://us02web.zoom.us/j/83956753042?pwd=OFY0bStBUjcrNWQ5cHpEYlk3eVNxdz09

Senha de acesso: 978269