Em ato no Palácio de Despachos magistério cobra rateio dos recursos da Educação

465

“Belivaldo devolva o meu dinheiro” esse foi o grito final de professores e professoras da rede estadual da capital e do interior em frente ao Palácio do Despachos na manhã desta terça-feira, 21.

“A nossa reivindicação é por algo nosso, há sobras nos recursos e elas precisam ser devolvidas a quem têm direito que são os trabalhadores e trabalhadoras da Educação, por isso dizemos ‘Belivaldo devolva o meu dinheiro”, afirmou a presidenta do Sintese, Ivonete Cruz.

Os professores e professoras participaram do ato convocado pelo SINTESE com o objetivo de buscar uma resposta do governador com relação ao rateio dos recursos (Fundeb e MDE) para os trabalhadores da Educação.

O governador não estava no Palácio, mas atendeu a presidenta do SINTESE por telefone e informou que ainda não tinha resposta e que esta tarde se reúne com integrantes do governo da área de finanças. Ele disse também que o assunto será na mesa de negociação com a Secretaria de Estado da Administração.

Assembleia
Logo após o telefonema, a direção do SINTESE realizou uma assembleia e foi decidido que os professores e professoras gravem vídeos e postem nas redes sociais (marcando @sintese.sergipe no Instagram e no Tik Tok e @sintese no Twitter) cobrando o rateio dos recursos da Educação.

Logo após o fim do ato, integrantes da direção do SINTESE foram a Secretaria de Estado da Administração para tentar dialogar com o secretário sobre qual data o sindicato seria recebido.

Ato dia 29
Na próxima quarta, dia 29, na Praça General Valadão o SINTESE realiza o ato de final de ano. Por conta da pandemia, o formato do ato será diferente, pois como as escolas estavam fechadas a maior parte do ano não será possível apresentar a “Prova Final”.

Além das reivindicações do rateio dos recursos da Educação não só para a rede estadual, mas também para as 74 redes municiais o sindicato irá apresentar um balanço das lutas em 2021.