SINTESE faz ato de final de ano na Praça General Valadão dia 29

200

Ato de final de ano faz balanço das lutas e denuncia gestores que devem direitos ao magistério e destroem a Educação

Todo o final de ano o SINTESE realiza um ato que desde 2007 é denominado como “Prova Final”, mas o cenário de pandemia (e de escolas fechadas) fez com que em 2020 o ato não se realizasse de forma presencial e em 2021 ele tenha outro formato.

Dia 29, das 8h às 12h na Praça General Valadão no centro comercial de Aracaju, o sindicato realiza um balanço das lutas do magistério em 2021 e também denunciam as gestões que negaram direitos do magistério durante o ano e que empreenderam uma política de destruição da Educação pública.

“O ano de 2021 foi mais um ano muito difícil para a Educação. Difícil para estudantes, pais e professores. A pandemia exacerbou situações que denunciamos há anos.  Terminamos mais um ano com muitos problemas no ensino e na aprendizagem e com alunos que não retornaram presencialmente e, portanto, não concluíram o ano letivo”, comenta a presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz.  

Rateio dos recursos

A luta pelo rateio das sobras de recursos para os trabalhadores da Educação também está na pauta do ato.

“Esse é um direito nosso, vamos continuar cobrando do governo estadual e dos gestores municipais que cumpram a lei e devolvam o nosso dinheiro já”, afirma a presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz.

Roda de conversa

O momento que vivemos não é fácil. A classe trabalhadora vive momentos de destruição dos seus direitos. Para o SINTESE é preciso que o magistério sergipano avalie e debata os desafios para 2022.

Nessa perspectiva, o sindicato realiza na tarde do dia 29 das 14h às 17h uma roda de conversa com a professora da UNB, Catarina de Almeida e o professor Romero Venâncio da UFS. O diálogo irá acontecer no Iate Clube de Aracaju.