A hora é agora: Dia 16 tem paralisação e ato na ALESE

374

Na quarta, dia 16, a partir das 8h professoras e professores da rede estadual e municipais paralisam as atividades e ocupam a praça Fausto Cardoso em frente à Assembleia Legislativa.

A mudança no ato da quarta, se deve à possível chegada do projeto de lei sobre a questão salarial dos professores e professoras da rede estadual.

Na tarde de hoje, após a assembleia, a direção do SINTESE recebeu ofício do secretário de Administração com o teor da proposta.

E pelo que foi enviado ao sindicato a proposta é ainda mais grave do que foi apresentado de forma oral na audiência da quinta, dia 10, além dos pontos informados na assembleia de hoje, 14, acaba com o triênio e congela a GATI – Gratificação por Atividade de Tempo Integral.

Diálogo com os deputados

Amanhã, dia 15, a direção do SINTESE irá a Assembleia Legislativa para saber o posicionamento deles sobre a proposta do governo. Vamos intensificar ainda, uma campanha com mensagens as deputadas e aos deputados solicitando que não aprovem projetos de lei que incorporam e retiram direitos e massacram ainda os aposentados.

Paralisação

A luta do dia 16 diz respeito à Mobilização Nacional da Educação em defesa da valorização da categoria e do cumprimento do piso do magistério convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação.

Em um cenário de destruição de carreira não dá para aceitar uma proposta que não aplique os 33,24% no vencimento, que extingue a paridade entre ativos e aposentados (para aqueles que entraram no Estado antes de 2004) e que mexe em gratificações que são muito caras para o magistério.

“É fundamental que os professores e professoras ocupem à praça Fausto Cardoso, pois é na rua que se conquistam direitos”, afirma a professora Ivonete.

E diante da gravidade está sendo chamada assembleia com professoras e professores da rede estadual para as 9h na Praça Fausto Cardoso.