A luta continua: professores e professoras de Socorro paralisação atividades e fazem vigília em defesa do piso

232

Na próxima sexta-feira, dia 25, professores e professoras da rede municipal de Nossa Senhora do Socorro vão paralisar suas atividades nas escolas para seguir em luta na defesa por valorização e pelo pagamento da revisão do piso salarial 2022, sem perda de direitos e respeitando a carreira. No dia da paralisação professores e professoras farão, mais uma vez, vigília na prefeitura municipal, às 10h.

A categoria decidiu pela paralisação em assembleia que ocorreu, durante vigília na porta da prefeitura do município, na última terça-feira, 22. A data da paralisação foi escolhida pela categoria porque na sexta-feira, dia 25, dirigentes do SINTESE serão recebidos em audiência pela Gestão Municipal para tratar sobre a revisão do piso.

“Vamos paralisar as atividades, vamos estar no prédio da prefeitura para mostrar que professores e professoras de Socorro estão dispostos a lutar. A valorização de professores e professoras não pode ser vista como um gasto por nenhum gestor, mas sim como um investimento em educação de qualidade. Respeitar o direito do professor e da professora é respeita a educação e consequentemente respeitar o povo. Estamos firme na luta” afirma a diretora do SINTESE e professora da rede municipal de Socorro, Adenilde Dantas.

É importante destacar que o município de Nossa Senhora do Socorro tem condições financeiras para assegurar a revisão do piso do ano de 2022 aos professores e professoras.

Com base em dados oficiais retirados do Portal da Transparência, Banco do Brasil e FNDE o SINTESE apresentou na última audiência com a gestão municipal, que aconteceu na sexta-feira passada, dia 18, estudos que apontam o crescimento da receita do Fundeb, no município de Nossa Senhora do Socorro.

Em 2021 a receita do Fundeb, em Socorro, cresceu em 33,36% quando comparado ao ano anterior, 2020. Houve também incremento na arrecadação de outros impostos, a exemplo do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que cresceu 32,98%.

Ao longo dos anos, a gestão municipal de Nossa Senhora do Socorro, que tem a frente o prefeito padre Inaldo, cumpriu com o estabelecido pela Lei e garantiu o pagamento da revisão do piso salarial a professores e professoras.

Cumprir com a revisão do piso salarial do magistério não é um “favor” que o gestor faz aos professores e professoras, mas sim uma Lei. O piso salarial do magistério é assegurado a categoria pela Lei Nacional 11.738, desde 2008. A Lei é taxativa ao afirmar que professores e professoras, da rede pública de todo o Brasil, devem receber a revisão do piso anualmente, sempre em janeiro, respeitando a carreira.