Saiba quais são as últimas informações sobre o redutor

283

A principal pergunta feita pelos professores e professoras por telefone, por email, nos grupos do whatsapp em mensagens nas redes sociais do SINTESE é: e o redutor?

O último fato é que o Estado pediu vistas ao processo, mas por que isso aconteceu?

O Estado identificou que havia duplicidade no processo e verificou que isso se deve ao fato de professores que já tinham dado entrada pelo SINTESE impetraram uma nova ação pela associação (Asese), sem comparecerem ao SINTESE para “dar baixa” na ação.

Com isso a Procuradoria Geral do Estado – PGE (que está com o processo) fez o requerimento para retirar as ações impetradas posteriormente pela Asese, pois a decisão do Tribunal de Justiça (de dezembro de 2020) sobre os pagamentos dos valores do redutor foi encaminhada a partir das ações impetradas pelo SINTESE.

O que o SINTESE tem feito para acelerar o pagamento?
O sindicato já encaminhou as informações solicitadas pelo Tribunal de Justiça (nome, contato, dados bancários e documentação) dos professores e professoras que deram entrada na ação pelo SINTESE.

A PGE informou ao jurídico do SINTESE que devolverá o processo ao Tribunal de Justiça o mais rápido possível.
Assim que o processo for devolvido o SINTESE irá solicitar uma audiência com a juíza Simone Fraga para que ela faça o pagamento o mais rápido possível.

“A partir da decisão do Tribunal de Justiça de fazer o pagamento não via sindicato, mas pela própria Justiça, o SINTESE de forma célere enviou os dados solicitados e temos a expectativa de que com toda a parte do Estado resolvida o pagamento seja feito em breve”, disse a presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz.