Rede estadual: governo segue massacrando os professores:  descumpre promessa e não paga retroativo no início do mês

354

Na manhã desta segunda, 02, o magistério da rede estadual foi surpreendido com o não pagamento do retroativo dos 10,16% referente aos meses de janeiro a março, mesmo com o secretário de Estado da Administração ter afirmado ao sindicato no dia 27 de abril, em audiência enquanto acontecia o ato em frente a secretaria, que o pagamento seria feito hoje em folha suplementar.

Na mesma audiência o SINTESE entregou ofício com a decisão da assembleia realizada no dia 26, em que os professores e professoras da rede estadual decidiram que o retroativo teria que ser pago de uma só vez e que o desconto do imposto de renda referente a este retroativo fosse parcelado até dezembro deste ano.

Na metade da manhã, a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura informou através de postagem nas redes sociais que o pagamento do retroativo será feito junto ao salário de maio. Em nenhum momento o sindicato, que representa a categoria, foi chamado para discutir sobre esta mudança.

“O governo Belivaldo mantem a política de massacre aos professores e também demonstra, mais uma vez, que sequer pode manter o que se compromete. Os professores aguardavam o pagamento do retroativo no início do mês para que, com eles, cobrisse o rombo causado pelos descontos altíssimos com o pagamento do famigerado abono”, disse a presidenta do SINTESE, professora Ivonete Cruz.

Assembleia

Na próxima sexta, dia 06, às 9h30 no Cotinguiba Esporte Clube será realizada assembleia unificada dos professores e professoras da rede estadual e redes municipais. A presença de todas e todas é fundamental para definir as nossas próximas lutas.

“Temos que estar dispostos e dispostas para a luta, na ruas, nas redes sociais, em todos os locais para denunciar a política de desvalorização e massacre empreendida pelo governo Belivaldo e em nossa assembleia que definimos essa ações”, afirma Ivonete.