Campanha de vacinação contra Influenza para professores e professoras está perto do fim

67

Atenção, atenção professores e professoras da educação básica, da rede estadual e das redes municipais de Sergipe: faltam apenas poucos dias para o fim da campanha de vacinação contra a Influenza. Se você é professor ou professora e ainda não se vacinou, vá a um posto de saúde e garanta a sua vacina!

Professores e professoras são grupo prioritário na vacinação contra Influenza (gripe). A campanha para a vacinação da categoria iniciou no dia 03 de maio e segue até o dia 24 de junho.

Infelizmente, de acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde de Sergipe, o percentual de professores e professoras sergipanos vacinados é de 35%, o que ainda é muito abaixo do esperado.

Vale ressaltar que a data para o fim da campanha de vacinação contra a Influenza já foi prorrogada.

Sabemos que professores e professoras fazem parte de um grupo vulnerável quando falamos sobretudo de doenças virais, a exemplo da Influenza e da Covid-19, uma vez que convivem diariamente com um grande número de estudantes.

Nas escolas públicas de Sergipe, tanto na rede estadual como nas redes municipais, a situação se torna ainda mais preocupante, já que diversas escolas, mesmo após o ápice da pandemia de Covid-19, seguem com estrutura precária e propícia para a proliferação de vírus nas salas de aula. São salas pequenas, mal ventiladas, em que os estudantes ficam muito próximos um dos outros e de seus professores. Algumas salas chegam a ter mais de 40 alunos aglomerados.

“A nossa profissão nos coloca em uma local de risco quando falamos em contágio por doenças virais. E se consideramos as condições das nossas escolas na rede pública a situação é ainda pior. Por isso, é fundamental que professoras e professores procurem o mais rápido possível as unidades de saúde de seus municípios e se vacinem. Uma gripe pode apenas nos afastar por uns dias da sala de aula, mas também pode tirar a nossa vida. Vamos nos vacinar contra Influenza, companheirada”, convoca o presidente do SINTESE, professor Roberto Silva.