Professores e professoras de Poço Verde ocupam a sede da prefeitura da cidade

172

Cansados da falta de diálogo e de respeito aos seus direitos, professores e professoras da rede municipal de ensino de Poço Verde, na região Centro Sul do estado, decidiram ocupar a sede da prefeitura, nesta segunda-feira, dia 27, na tentativa de conseguir audiência com o gestor municipal, o prefeito Iggor Oliveira.

O objetivo é fazer com que a administração municipal abra canal de diálogo e negociação e cumpra com a atualização do piso salarial de 2022.

Desde abril que o SINTESE, por meio de ofícios, tem tentado reabrir o canal de diálogo, solicitando que o prefeito Iggor Oliveira receba os representantes da categoria do magistério em audiência, mas já estamos quase no final de mês de junho e até agora o prefeito segue ignorando o apelo de professores e professoras.

Da região Centro Sul de Sergipe, Poço Verde é o único município que ainda não negociou a atualização do piso salarial 2022 para professores e professoras

“Tentamos que o prefeito abrisse o diálogo por meio de ofício, mas não houve qualquer iniciativa por parte do gestor municipal. No início do mês de junho mais uma vez solicitamos audiência a prefeitura e não conseguimos. E agora, o que nos restou foi ocupar a prefeitura na busca de negociação. Queremos dialogar. O piso é Lei. Poço Verde é o único município do Centro Sul que ainda não negociou. Esperamos que o prefeito Iggor não queira manter a “fama” de gestor que desrespeita professores e que ignora nossos direitos. Mais uma vez reafirmamos que o SINTESE segue aberto ao diálogo”, coloca o coordenador do SINTESE, na região Centro Sul, professor Estefane Lindemberg.

É sempre importante destacar que o piso salarial é assegurado a professores e professoras da rede pública de todo o Brasil, desde 2008, pela Lei Federal 11.738, que diz que o piso deve ser atualizado anualmente, sempre em janeiro. A atualização deve ser feita de forma automática e assegurando os direitos da carreira, cumprindo decisões do STF e STJ.